• #1 1 pt(s)

    Soneto

    Oh! Páginas da vida que eu amava,

    Rompei-vos! nunca mais! tão desgraçado! ...

    Ardei, lembranças doces do passado!

    Quero rir-me de tudo o que eu amava!

    E que doido que eu fui! como eu pensava

    Em mãe, amor de irmã! em sossegado

    Adormecer na vida acalentado

    Pelos lábios que eu beijei!

    Embora é meu destino. Em treva densa

    Dentro do peito a presença finda

    Pressinto a uma morte na doença fatal!

    A mim a solidão da noite infinda!

    Possa dormir o trovador sem crença.

    Perdoa minha mãe eu te amo ainda!

    AZEVEDO, A. Lira dos vinte anos. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

    A produção de Álvares de Azevedo situa-se na década de 1850, período conhecido na literatura brasileira como Ultrarromantismo. Nesse caso, uma força expressiva de exacerbação romântica identificada-se com (a)

  • #2 1 pt(s)

    Era uma vez

    Um rei que não era rei.

    Um pato que não fez quá-quá.

    Um cão que não latia.

    Um peixe que não é nadava.

    Um pássaro que não voava.

    Um tigre que não comia.

    Um gato que não miava.

    Um homem que não pensava ...

    E, enfim, era uma natureza sem nada.

    Acabada. Depredada.

    Pelo homem que não pensava.

    Laura Araújo Cunha

    CUNHA, LA In: KOCH, IV; ELIAS, VM Ler e escrever : estratégias de produção textual.

    São Paulo: Contexto, 2011.

    São as relações entre os elementos e as partes do texto que promovem ou desenvolvem as idéias. No poema, uma estratégia linguística que contribui para esse desenvolvimento, estabelece uma herança de texto, é uma

  • #3 1 pt(s)

    Confidência do Itabirano

    Alguns anos vivi em Itabira.

    Principalmente nasci em Itabira.

    Por isso sou triste, orgulhoso: de ferro.

    Noventa por cento de ferro nas calçadas.

    Oitenta por cento de ferro nas almas.

    Esse alheamento da vida é porosidade e

    comunicação.

    A vontade de amar, que me paralisa ou trabalha,

    vem de Itabira, de suas noites brancas, sem mulheres e

    [sem horizontes.

    E hábito de sofrer, que tanto me diverte,

    é doce herança itabirana.

    De Itabira trouxe diversas agenda que ora o de pagamento:

    esta pedra de ferro, futuro aço do Brasil,

    este São Benedito do antigo santuário Alfredo Duval;

    este couro de anta, estendido no sofá da sala de visitas;

    este orgulho, esta cabeça baixa ...

    Tive ouro, tive gado, tive fazendas.

    Hoje sou funcionário público.

    Itabira é apenas uma fotografia na parede.

    Mas como dói!

    ANDRADE, CD Poesia completa .

    Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2003.

    Carlos Drummond de Andrade é um dos expoentes do movimento modernista brasileiro. Com seus poemas, penetra fundo na alma do Brasil e trabalha poeticamente os dilemas humanos. Sua poesia é feita de uma relação tensa entre o universal e o particular, como se percebe claramente na construção do poema Confidência de Itabirano. Tendo em vista os procedimentos de construção do texto literário e como as concepções artísticas modernistas, concluímos que o poema acima:

  • #4 1 pt(s)

    A respeito da obra da escritora Clarice Lispector é correto afirmar que apresentou poucas inovações em relação à linguagem, revelando ainda uma grande preocupação em dar continuidade às transformações literárias oriundas do Movimento Modernista.

  • #5 1 pt(s)

    Identifique a figura de linguagem empregada nos versos destacados:

    “No tempo de meu Pai, sob estes galhos,

    Como uma vela fúnebre de cera,

    Chorei bilhões de vezes com a canseira

    De inexorabilíssimos trabalhos!”

  • #6 1 pt(s)

    Epifania é um sentimento que expressa uma súbita sensação de entendimento ou compreensão da essência de algo.

  • #7 1 pt(s)

    Sobre a obra de Clarice Lispector, a autora apresenta como principal sustentáculo o questionamento do ser, o “estar-no-mundo”, o intimismo e a pesquisa do ser humano.

  • #8 1 pt(s)

    O romance de Clarice Lispector filia-se à ficção romântica do século XIX, ao criar heroínas idealizadas e mitificar a figura da mulher.

  • #9 1 pt(s)

    Sobre as diferenças entre a poesia e o poema, a poesia pode estar presente em paisagens e objetos, enquanto o poema faz referência ao gênero textual.

  • #10 1 pt(s)

    O trovador

    Sentimentos em mim do asperamente

    dos homens das primeiras eras...

    As primaveras do sarcasmo

    intermitentemente no meu coração arlequinal...

    Intermitentemente...

    Outras vezes é um doente, um frio

    na minha alma doente como um longo som redondo...

    Cantabona! Cantabona!

    Dlorom...

    Sou um tupi tangendo um alaúde!

    ANDRADE, M. In: MANFIO, D. Z. (Org.) Poesias completas de Mário de Andrade.

    Belo Horizonte: Itatiaia, 2005.

    Cara ao Modernismo, a questão da identidade nacional é recorrente na prosa e na poesia de Mário de Andrade. Em O trovador, esse aspecto é

Você deve responder o Quiz antes de conferir o resultado
Quiz criado por vanessa341 em 13/07/2020 e atualizado em 29/07/2020. Esse quiz foi resolvido 210 vezes.